Persistência

per·sis·tên·ci·a

substantivo feminino

1. Ato de persistir.

2. Qualidade de persistente.

3. Perseverança, constância, firmeza.


"A persistência é a capacidade de continuar com os esforços mesmo frente aos mais desanimadores desafios ou obstáculos"

Fiz essa montagem inspirada em algumas montagens que o artista Marcio Takara costuma fazer. Ele costuma fazer assim: coloca um desenho antigo ao lado de um novo (do mesmo personagem), a data de cada um, e os dizeres "Keep Drawing" (continue desenhando). Sempre achei legais essas potagens dele, então decidi pela primeira vez fazer uma também. Enquanto estava fazendo a montagem, acabei tendo um pequeno momento de catarse e decidi dividir com vocês.


Bom dia pessoal!


Durante o mês de março eu fiz uma arte que acabou me fazendo refletir bastante, sobretudo sobre a palavra persistência. A grande verdade é que, eu sou uma pessoa apaixonada pela vida, por diversas formas de arte, por conhecer o outro, por conhecer lugares, por simplesmente correr olhando para o mar, sentir o frio congelando meus cílios... por viver. E por isso, sinto que eu conseguiria viver uma vida feliz de diversas formas, independente de trabalho, de país, de clima, mas por alguma razão a arte bate mais forte que tudo isso aqui no peito, e já faz um tempo.


No meus tempos de escola comecei a ler e desenhar bastante, era simplesmente uma válvula de escape maravilhosa. Entre livros e rabiscos eu comecei a ter uma identificação com a arte. Eu não era apenas Júlia, eu era "a menina que desenhava". E assim continuei, cada vez mais e sem nenhum tipo de pensamento de porque eu fazia aquilo, para que eu fazia ou porque eu não me dedicava a melhorar. Naquela época não existiam cobranças nem comparações na minha cabeça, eu desenhava como quem precisa respirar, sem nem ao menos notar que eu fazia e precisava daquilo... era mesmo tão natural quanto respirar.


E a vida bateu na porta. No terceiro ano do ensino médio eu descobri que existia um curso superior em Artes Visuais em Fortaleza, decidi então tentar o vestibular para Artes. Foi a primeira vez que vi tanta gente torcer o nariz por uma decisão minha, cada professor fazia uma careta diferente quando escutavam que eu iria prestar vestibular para artes... Muitos meses, horas e dias de estudos, depois de uma prova de história da arte junto com uma prova prática de desenho, consegui passar para a segunda fase. Depois de uma prova a-b-c-d-e de matemática, física e todas aquelas outras disciplinas, passei para a terceira fase. Depois de uma prova de história estilo "dissertativo-argumentativo", finalmente entrei para o curso de artes! Recebi os parabéns da minha mãinha, meu namorado e de um amigo querido. Não teve parabéns de amigos e familiares, não teve festa de comemoração ou outros tipos de congratulações, mas tiveram muitos "mesmo? tem certeza que você vai cursar isso?"


Quando comecei a estudar artes, fiquei maravilhada e assustada ao mesmo tempo. Nunca tinha visto tanta gente talentosa, tantas maneiras diferentes de fazer sua arte, de "ser você". Fiquei com uma fome enorme, de conhecimento acima de tudo - teorias, técnicas, materiais, histórias, inspirações... Eu queria poder saber tudo sobre tudo, mas a verdade é que quanto mais eu estudava mais eu entendia que aquilo ia se tornar um estado perpétuo. Sempre estudando, sempre descobrindo coisas novas, sempre quebrando a cara e me levantando para fazer algo melhor.


Hoje em dia, são raros os dias em que eu não faça arte. Seja por trabalho ou por puro prazer. Sim, de vez em quando tem aquele dia off (off mesmo, porque o sentimento de algo faltando perdura, claro), mas eles estão cada vez mais raros com o passar do tempo (ainda bem). São dias de 10 horas de arte, outros de 14. Dias fechando a cortina às 15h porque o sol está refletindo no prédio ao lado e ofuscando a minha visão e depois abrir a mesma cortina às 5h20 para apreciar o nascer do sol enquanto estou estudando algo novo. Dias escutando centenas de vezes o velho não, mas vibrando a cada pequeno sim. São calos nos dedos, um pescoço dolorido, algumas olheiras e um coração sempre pegando fogo!


A vida dos artistas acabam sempre cercadas de frases como "que dom maravilhoso que você tem" ou o velho "que pena que eu não tive essa sorte", como se todo artista já nascesse daquela maneira que o outro o vê. Mas essa é a grande maravilha da coisa, basta mudar as palavras dom e sorte por persistência. E a realidade aparece, floresce, vive. Porque a cada dia que você persiste, mais você vai escutar falar sobre o tal dom.


Bom, obrigada por todo mundo que chegou até o fim desse texto, e que nós continuemos assim, com persistência em tudo que nós amamos!



#Persistência

Featured Posts
Recent Posts
Archive
Search By Tags
Nenhum tag.